Hoje 11h da manhã foi a abertura da Bienal.
O espetáculo foi de acordo com o nível do evento, sem dúvida, com direito à presença do príncipe da Dinamarca, embaixador, 2 ministros do Brasil, governador do Estado e demais “autoridades”.
Bem, eu estava de camiseta, mas minha jaqueta de couro deixou-me um pouco mais “social”, diferentemente da maioria dos presentes, que estavam ternados e engravatados!!
No final das contas foi positivo, encontrei e conversei com o prof. Ari Rocha, grande figura do design brasileiro, com a curadora Adélia Borges, com a minha amiga designer Fernanda Martins, com o amigo Henrique Nardi [Tipocracia], entre outros conhecidos e desconhecidos…
E verifiquei, no catálogo da Bienal, que o nosso material (da Aurus) selecionado para a mostra principal saiu bem, mas sem o nome dos designers, que foram parar na legenda de outro material selecionado!
Erros de material gráfico que invariavelmente ocorrem…

Nós da Aurus (Kelli, Rodrigo e eu) queremos compartilhar a nossa alegria, pois tivemos um material aprovado para a exposição principal – Design, Inovação e Sustentabilidade – da Bienal Brasileira de Design 2010.

Bem, na postagem anterior eu comentei sobre o site “Imprimir é dar vida”, dizendo que parece que o site todo é tendencioso. Para tirar a dúvida deixei um recado no site e…. não publicaram ainda, sendo que há comentários mais novos publicados, todos favoráveis, como não poderia deixar de ser.

É, parece que minhas suspeitas se confirmaram. Uma pena.

Entrei no site “Imprimir é dar Vida” e achei que tudo o que está publicado lá é incondicionalmente a favor da indústria do papel e da celulose.
Por isso deixei um recado (quero ver se vão publicar) dizendo que para se ter uma opinião crítica é necessário conhecer argumentos prós e contras, e sugeri que fossem ao site EcoDebate e fizessem uma busca pela palavra-chave “papel”.
Para quem quiser entender a questão do papel e da celulose no Brasil, essa é uma forma de começar.

veja no Portal EcoDebate:
Pensamento de esquerda introduziu problemática ambiental.

O papel dos diversos movimentos da contracultura é fundamental e fundador do ambientalismo, na medida em que permitiu formular uma crítica, abrangente e pioneira, da sociedade e da cultura ocidentais”, afirma Gustavo Costa Lima, doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), especialista em Sociologia Ambiental e professor da Universidade Federal da Paraíba.

[excerto do texto publicado no Portal EcoDebate]

De José Saramago

Publicado: 23/06/2010 em responsabilidade social

Este texto trata da democracia e de sua urgente revisão crítica.

Leia no site “Outras Palavras”

Uma das mensagens do combatente José Saramago.


Este é o livro da minha amiga argentina
María Eugenio Moreno, que acaba de sair!

O link do blog é http://elmarketingesviable.wordpress.com/

Assim que saiba como adquiri-lo eu avisarei!!